quarta-feira, 24 de junho de 2015

Sites sem menus animados e sem coisas que saltam na tela. Por quê?!

fonte: Internet
Quem acompanha meu trabalho já deve ter notado que utilizo nada ou pouquíssimos recursos apelativos-visuais nos sites. Isso tem motivos muito importantes que levo em conta para cada projeto. A maioria dos clientes que me procuram, marinheiros de primeira viagem, quer cores berrantes misturadas com menus que saltam e um logo que entra pulando na tela... para isso que serve a consultoria, correto? Logo desencorajo com a premissa de que todos devem ter acesso ao site. Mas como assim, Lucas?! Se está na Internet, todos acessam, né? Não necessariamente.

Partindo da máxima Google, que preza por ser acessível em 99,9% dos dispositivos com acesso à Internet, você pode imaginar o porquê de a página de busca - e demais sites da empresa - dos caras ser a mesma desde que surgiu o site? Acessibilidade. Imagina que se o Google tivesse modernizado a sua busca ao passar dos anos, ele provavelmente teria perdido a liderança mundial na rede apenas pelo fato de não ser mais 99,9% acessível. É como você deve passar a ver os sites: menos é mais. E com a grande parcela de acessos a partir de dispositivos móveis como smartphones e tablets, você deve se preocupar ainda mais com essa exploração da navegação. Um outro motivo muito considerado por aqui é a irritabilidade do usuário/cliente em potencial. Você nunca deve descartar o link visitante/cliente em potencial. Converter visitas em negócios é fundamental em qualquer parte do mundo e você deve estar atento também a isso. E voltando à irritabilidade do usuário/potencial cliente, tenha em mente que se o cara levar mais que um minuto para encontrar o que ele precisa - lê-se: enxergar na tela a informação buscada - muito provavelmente ele fechará a guia e voltará a pesquisar novamente. Ou seja, você perdeu um possível bom negócio. Seus visitantes não querem ver coisas pulando na tela nem animações infinitas a cada clique. Seus visitantes querem informação rápida e precisa com fontes grandes e bastante ênfase na linguagem utilizada.

Em suma: tenha muito cuidado com as suas solicitações. Pode ser que você contrate os serviços de um profissional que só se preocupa com dinheiro e não com a sua imagem, daqueles que entregam qualquer porcaria com a certeza de que a culpa é do cliente que tem mau gosto. Confiar a sua imagem e a identidade do seu negócio para uma agência digital é como abrir a porta da sua casa para um estranho. 

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Mais um super site - Farmácia Santa Julia Billiart

Depois de alguns anos com o mesmo site estático e não mais condizente com sua estrutura e serviços avançados, a Farmácia Santa Julia Billiart de Não-Me-Toque - RS fez muito bem ao decidir inovar com um super site, moderno e que transmite toda eficiência e compromisso da loja física para o ambiente digital. A farmácia também recebeu outros serviços em design, antes do site.





terça-feira, 16 de junho de 2015

Renata Pires Bezerra - Identidade visual 2

Aproveitando a criação da sua identidade visual, a Farmacêutica Bioquímica Especialista em Tecnologia Farmacêutica e Cosmecêutica e Mestre em Engenharia de Alimentos Renata Pires Bezerra também decidiu criar uma identidade para ilustrar sua metodologia de trabalho chamada de go! para impressos e web.